Às vezes me sinto como… (final)

Chegamos a terceira e última tira sobre os sentimentos do escritor numa jornada.

Às vezes isso acontece, né? O cara chega lá em cima e esquece de como começou, briga com os outros, reclama de tudo e isso é até compreensível.

Imagine só passar uma vida inteira tentando agradar um ou outro, sendo prestativo e tolerante, alguns atributos que são recomendáveis no mercado de hoje

Mas se a pessoa não for boa nisso? Se ela transbordar talento, criar personagens que parecem ter sido extraídos de sua alma e, na verdade, nada parecem com o autor?

Os leitores se aproximam, achando que aquilo ali é uma extensão do autor, quando na verdade, é só uma história.

Se o autor passou uma vida sendo hostil, mas sua obra prevaleceu, acho perfeitamente aceitável, pois não dá para mudar uma pessoa.

O que não posso aceitar é uma pessoa ser sociável até o sucesso e depois virar a cara para os que o apoiaram desde o começo.

Espero chegar longe com meus trabalhos.

Gostaria muito de ver você lá perto de mim.

 

Mais uma vez: Curtam as páginas dos meus trabalhos e a página do cara aqui!

Uma resposta para “Às vezes me sinto como… (final)

  1. Que legal a matéria na veja, pequenos heróis é o máximo mesmo, apesar dos heróis já serem mega conhecidos, acho mais legal ainda por acompanhar as HQs há anos.

    Parabéns!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s